Descubra o único fator que fará de você um verdadeiro líder

Se você pesquisar a palavra “líder” na internet ou em livros especializados, verá o quão difícil é encontrar duas definições exatamente iguais para o termo. Isso ocorre porque o conceito de líder é subjetivo (relativo ao sujeito) e, desta forma, varia de cabeça para cabeça.

Algumas cabeças definirão o líder como um ser especial dotado de certas características pessoais (quase mágicas) capazes de magnetizar seus seguidores. Outras cabeças o definirão como uma pessoa comum, simples e humilde que, com grande doação pessoal, consegue mobilizar multidões.

A verdade é que nenhum estudo conseguiu comprovar uma relação direta entre diferentes características pessoais e a manifestação do líder. Entretanto, no nosso entendimento, para alguém ser considerado um verdadeiro líder, é necessário apenas um único fator. Esse fator foi-me revelado na definição de líder mais direta e inquestionável que já encontrei.

 

“Um líder tem seguidores-aliados voluntários.”

 

Conheci essa definição no livro O guia dos Gurus de Joseph e Jimmie Boyett e nunca mais a esqueci justamente por ser compacta e muito clara. Nossas imagens mentais de um líder podem nos levar a várias ideias, ideais e até fantasias. Porém, é inquestionável que só é líder aquele que tem seguidores-aliados voluntários. Não importam seus traços de personalidade, sua formação acadêmica, seus valores pessoais, sua aparência, seu saldo bancário, seu status. Nada disso realmente o definirá como um líder. Mas importará se as pessoas que o seguem o fazem voluntariamente.

Para tirarmos quaisquer dúvidas e validarmos esta primeira condição, peço que você pense em um líder que considera como uma referência inquestionável.

 

Pense…

 

Pensou?

 

Então responda: este líder tem (ou teve) seguidores-aliados voluntários? Você poderá ter pensado na figura forte e agressiva de Adolf Hitler ou frágil e amorosa de Madre Teresa, ou uma outra. Porém, independentemente das contrastantes diferenças físicas e de personalidade, certamente, o ponto-chave, o elemento invariável, é a presença de seguidores-aliados voluntários.

Um seguidor-aliado voluntário é aquele que segue o líder por acreditar (ou ter a convicção) de que é útil a uma causa, a uma visão, a um objetivo. Ele poderá ter ou não ganhos pessoais durante a jornada, mas seguirá o líder por estar envolvido em algo maior que ele, maior que o líder e que o próprio processo da liderança. Nas empresas, são aquelas pessoas que “vestem a camisa” e estão engajadas em desenvolver o seu máximo potencial em tudo o que fazem. São leais, mesmo quando precisam se opor às ideias ou às orientações do líder.

Pois é, meu amigo! Este é um momento importante para você se questionar se o que tem em sua equipe são seguidores-aliados voluntários ou meramente pessoas que parasitam a empresa motivados por algum vínculo de dependência. Talvez a resposta a essa questão seja muito desconfortável, principalmente se aceitarmos que a causa raiz é SEMPRE de responsabilidade do líder.

Um líder tem seguidores-aliados voluntários. Disso não há dúvidas! Mas será que, independentemente do seu perfil, você tem conseguido atrair as pessoas certas para contribuir com a sua causa? Pense nisso.

Desejo sucesso. Um grande abraço.

 

Se você está interessado em obter maiores resultados com sua a equipe e melhorar seus resultados, não deixe de dar uma olhada na Metodologia TOOL de Liderança.

PROGRAMA TOOL

 

 

 

 

Ricardo Mallet

Ricardo Mallet

Graduado em Gestão Empresarial com extensão em Estilo de Gestão e Liderança pela FGV, consultor e palestrante com 25 anos de experiência no mercado de treinamentos. Certificação internacional em Coaching, Mentoring e Holomentoring® do Sistema ISOR®.

Website: http://comoliderar.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *