Pessoas difíceis – Como lidar com os rinocerontes no trabalho

Você está com uma ideia fantástica para implementar na empresa. É aquela ideia que vai mudar tudo e levar o negócio a um novo patamar de resultados. Só há um problema: entre você e o sucesso há um rinoceronte (sabe aquelas pessoas difíceis)!

Pessoas difíceis, os rinocerantes do trabalho

Um rinoceronte é aquele ser resistente, paquidérmico, meio bruto, que se sente ameaçado e parte para o ataque sempre que alguém tenta invadir o seu território.

Talvez você trabalhe (ou já trabalhou) com alguma pessoa difícil assim, “casca grossa”, que não tolera ver seu território ideológico invadido e defende sua opinião, seu sagrado ponto de vista, como um animal instintivo defende seu espaço vital.

Projetos ficam empacados, o clima no ambiente de trabalho péssimo e as pessoas não conseguem nem respirar. Pois é! Talvez você não saiba, mas os rinocerontes também costumam empilhar seus excrementos para demarcar território…

O melhor mesmo seria evitá-los. Mas quando isso não for possível, como enfrentar o bicho sem ser destroçado?

Durante a minha trajetória de vida, tive a oportunidade de lidar com alguns rinocerontes, tanto no ambiente profissional quanto nas relações pessoais, e aprendi algumas técnicas simples para gerenciar essas situações de perigo que quero compartilhar com você.

O que não fazer diante da fera?

  1. Não tente vencer no grito. Mesmo se você tiver ascendência hierárquica sobre essa pessoa, vencer no grito não resolverá definitivamente o problema. Isso porque a origem da agressividade poderá simplesmente ficar oprimida por algum tempo, porém reaparecerá de forma devastadora posteriormente.
  2. Não faça nenhum movimento que possa parecer ameaçador. Qualquer coisa poderá inflamar ainda mais as emoções do animal. Portanto, tome cuidado tanto com a linguagem verbal quanto a não verbal (tom de voz, gesticulação, expressões faciais e corporais).

Então, o que fazer com essas pessoas difíceis?

Faça perguntas! Sim, a melhor forma de se livrar do ataque é com perguntas investigativas (não ameaçadoras) que demonstrem real interesse nas opiniões do outro.

Peça para a pessoa justificar seu ponto de vista com base em dados (estatísticas, por exemplo) ou fatos (concretos). O que acontece é que o cérebro, quando ocupado com questões mais racionais, precisa direcionar boa parte de sua energia para resolver essas questões e isso faz com que a agressividade e a emocionalidade cedam espaço para o raciocínio lógico.

O resultado é um rinoceronte mais sociável e lúcido, que aos poucos vai percebendo o próprio comportamento e se sentindo cada vez mais seguro para expressar as causas dos seus maiores anseios.

Neste ponto, você conseguiu finalmente entrar no território da fera. Somente nesta situação você terá chances reais de apresentar suas ideias e resolver os impasses encontrando alternativas eficazes para alcançar o sucesso desejado.

Seguindo essas dicas, as suas chances de sucesso numa situação de conflito são monstruosas. Mas, primeiramente, você precisará conhecer o próprio rinoceronte interior. Você está preparado?

Desejo sucesso! Um grande abraço.

Ricardo Mallet

Ricardo Mallet

Graduado em Gestão Empresarial com extensão em Estilo de Gestão e Liderança pela FGV, consultor e palestrante com 25 anos de experiência no mercado de treinamentos. Certificação internacional em Coaching, Mentoring e Holomentoring® do Sistema ISOR®.

Website: http://comoliderar.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *